Pages

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

CULTURA NA PRAÇA – PONTO DE CULTURA CAJUPIRANGA COMEMORA DIA DO FOLCLORE


Em comemoração ao Dia do Folclore (22/08), o Ponto de Cultura Cajupiranga promoveu várias apresentações de danças folclóricas em São José de Mipibu. O evento aconteceu na noite de sábado (27/08) no largo da Matriz.

A comemoração contou com a participação do Ponto de Cultura Chico Antônio da cidade de Pedro Velho e do poeta de Mipibu, Arlindo Izaías.

AS APRESENTAÇÕES 
 
GRUPO PAU E LATA (PEDRO VELHO)




GRUPO DE CAPOEIRA (PEDRO VELHO)


GRUPO DE CÔCO DE RODA (PEDRO VELHO)




O POETA ARLINDO IZAÍAS (SÃO JOSÉ DE MIPIBU)
GRUPO DE BAMBELÔ (SÃO JOSÉ DE MIPIBU)



 
Na ocasião, também, foram expostos trabalhos oriundos da oficina de mosaico ocorrido em 2010, na Associação Cajupiranga.
 



O público prestigiou o evento comparecendo em bom número. Foi uma bela noite de muita música, dança e cultura. Infelizmente, eventos dessa natureza são raros na cidade de Mipibu.

 O PÚBLICO

PROJEÇÃO DE SLIDES  DE APRESENTAÇÕES ANTERIORES E BARRACA COM EXPOSIÇÃO DOS MOISAICO
 
  PARTE DA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO CAJUPIRANGA E O GRUPO DE BAMBELÔ

(FOTOS: VALDECI DE OLIVEIRA)

sábado, 27 de agosto de 2011

CAJUPIRANGA COMEMORA DIA DO FOLCLORE


Logo mais à noite, por volta das 19:30, o Ponto de Cultura Cajupiranga estará comemorando o Dia do Folclore, ocorrido no dia 22 de agosto. 


Nessa noite voltada à cultura popular estarão se apresentado na praça central de São José de Mipibu, vários grupos de danças folclóricas da cidade de Mipibu e Pedro Velho (Ponto de Cultura Chico Antônio). 

Concomitante às apresentações serão expostos os trabalhos realizados na Oficina de Moisaco promovido pelo Ponto de Cultura Cajupiranga, em 2010.

FOTOS: VALDECI DE OLIVEIRA

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

DIA DO FOLCLORE


                                          FOTO: VALDECI DE OLIVEIRA

Hoje, 22 de agosto, é o Dia do Folclore. A data foi concebida por meio de um decreto federal em 1965.

O folclore envolve todas as tradições, lendas e crenças de um povo e está presente em várias manifestações culturais, entre ela, a alimentação, o artesanato, a religiosidade, a dança, a música e a vestimenta.

De acordo com a Carta do Folclore Brasileiro, aprovada no I Congresso Brasileiro de Folclore (1951) “constituem fato folclórico as maneiras de pensar, sentir, agir de um povo, preservadas pela tradição popular, ou pela imitação”.

A Constituição Federal de 1988, também protege o Folclore, nos seus artigos 215 e 216, que trata da proteção do patrimônio cultural brasileiro.

Entre os maiores estudiosos do folclore brasileiro destacamos o potiguar, Luis da Câmara Cascudo, que deixou uma obra extensa sobre o assunto.

domingo, 21 de agosto de 2011

ANIVERSÁRIO MÍSTICO




Na noite de ontem (20/08) foi comemorado na Associação Cajupiranga, o aniversário da minha amiga Lígia Revorêdo.  Lígia, como sempre, muito criativa bolou uma festa mística, com direito à cartomante e tudo. O papel de cartomante foi interpretado pelo grande Flávio, numa performance invejável.

Amigos e parentes prestigiaram a festa, numa noite agradabilíssima cheia de gente bonita, alegre e descontraída (vejam as fotos abaixo).

Parabéns, Lígia, pela bela festa.








  








(FOTOS VALDECI DE OLIVEIRA)

MARIA BETÂNIA FAZ SHOW EM NATAL



A diva Maria Betânia estará se apresentando em Natal nos dias 09 e 10 de setembro no Teatro Riachuelo. Os ingressos começaram a ser vendidos no sábado (20) na loja Jogê Lingerie, no terceiro piso do Midway Mall. Os ingressos custam R$ 250,00 (inteira) e R$ 125,00 (estudantes, idosos, professores da rede municipal).


quinta-feira, 18 de agosto de 2011

DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA

DAGUERREÓTIPO

19 DE AGOSTO COMEMORA-SE O DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA


UM POUCO DA HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA

A primeira descrição de algo parecido com uma máquina fotográfica foi escrita por um árabe, Alhaken de Basora, que viveu há aproximadamente 1000 anos. Ele descobriu como se formavam as imagens no interior de sua tenda quando a luz do sol passava pelas frestas do tecido. Assim foram relatados os princípios do que viria a ser a câmera fotográfica.

Câmera significa pequeno quarto. Mais tarde, a câmera escura, quando não existia a fotografia, era um artifício empregado para conseguir imagens projetadas desde o exterior e cujas siluetas eram desenhadas na referida câmera escura. Sua existência é conhecida desde o século XVI, quando artistas como Leonardo Da Vinci e outros pintores a usavam para desenhar.

No século XVII, as câmeras escuras deixam de ser grandes e passaram a ser móveis, desmontáveis e semiportáteis. Desenhar com luz, este, na verdade, era a utilidade destes objetos, por isso o significado etimológico das palavras gregas: foto (luz) e grafein (desenhar).
Os irmãos franceses Jean Niceforo e Claude Niepce são os primeiros a relacionar a imagem realizada com luz e uma câmera escura. Mas eles não foram os únicos investigadores desta atividade, em que pese que foram os únicos a chegar ao fim de esta prática.

Mais tarde, o artista francês Louis Jaques Mandé Daguerre (1789 – 1851) trabalhou, durante anos, em um sistema para conseguir que a luz incidisse sobre uma suspensão de sais de prata, de tal maneira que a escurecesse seletivamente e fosse capaz de produzir a duplicação de alguma cena. Em 1839, Daguerre tinha aprendido a dissolver os sais intatos mediante uma solução de tissulfato de sódio o que permitia gravar permanentemente a imagem.

Mesmo o avanço tendo sido notável, levava de 25 a 30 minutos para tirar uma fotografia, e se houvesse sol. Mas este não era seu principal inconveniente, senão a dificuldade de obter cópias. E foi outro inventor, William Henry Talbot (1800 – 1877), que fazia experiências com o que chamou de calótipos, que superou o problema em 1841. Com seus calótipos obtinham-se negativos que logo deveriam ser passados aos positivos em outras folhas. Em 1844, foi publicado o primeiro livro com fotografias.

A partir de então, as investigações se concentraram em conseguir um papel para os negativos que fosse suficientemente sensível para ser rapidamente impresso. Em 1848, um escultor inglês, Frederick Scott Archer, inventou o processo de colódio úmido. O colódio (composto por partes iguais de éter e álcool numa solução de nitrato e celulose) era empregado como substância ligante para fazer aderir o nitrato de prata fotossensível à chapa de vidro que constituía a base do negativo. A exposição era feita com o negativo úmido (esta é a origem do nome colódio úmido). A revelação tinha de ser feita logo após a tomada da fotografia.

Só depois de alguns avanços científicos foram obtidas fotografias coloridas. Gabriel Lippman foi o primeiro investigador que mediante um complexo método conseguiu fotografar o espectro visível com toda sua riqueza cromática. Os irmãos Lumière também contribuíram, mas foram Luis Ducos du Hauron e Carlos Cross as pessoas que criaram um método que consistia na impressão de três negativos através de filtros coloridos em vermelho e azul.

Fontes
Site da Kodak. Acessado em 18 mar. 2009. Disponível em: http://wwwbr.kodak.com/BR/pt/index.shtml

TRANSCRITO: http://www.infoescola.com/curiosidades/historia-da-fotografia/


SALÃO NORDESTE DE ARTE POPULAR XICO SANTEIRO

Continua aberta à visitação o "SALÃO NORDESTE DE ARTE POPULAR XICO SANTEIRO". A exposição que reune 30 trabalhos de artistas selecionados através de edital poderá ser visitada até o dia 4 de setembro, no Palácio Pontegi (Pinacoteca do Estado), de 3ª a domingo, das 8h às 17h.
A exposição faz parte do "AGOSTO DA ALEGRIA", realizado pelo governo do Estado do RN, com o patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil e o Sesc em comemoração ao mês dedicado ao folclore.

ESPAÇO COM PEÇAS DE XICO SANTEIRO

PEÇAS DE XICO SANTEIRO EM DETALHE





(FOTOS: VALDECI DE OLIVEIRA)



quarta-feira, 17 de agosto de 2011

COMEMORAÇÃO DO DIA DA FOTOGRAFIA


DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA
EXPOSIÇÃO DE CANIDÉ SOARES
HOMENAGEM À VALDEMIR GERMANO
Local: NALVA CAFÉ – Ribeira
Horário: 19:00
Entrada: FRANCA