Pages

segunda-feira, 30 de abril de 2012

ZECA BRASIL NO TEATRO DE CULTURA POPULAR


 
A obra do cantor e compositor ZECA BRASIL se constitui em temas instrumentais, baladas, reggaes, blues, bossas, xotes e baiões, que revelam uma aptidão natural de quem com amor faz o que sabe, e ama fazer aquilo que faz.
A disciplina e dedicação de ZECA BRASIL resultaram em cinco títulos lançados no mercado fonográfico, sendo eles: "Identidade"-l998, "A Face da Luz"-2003. (indicado ao Prêmio Hangar de Música como melhor CD 2003/2004), "Conte Comigo"-2006, "Pra não dizer que não falei do verso"-2009, e "Elas me cantam"-2011.
Mediante o trabalho desenvolvido e os resultados colhidos ao longo desses anos, chegou a vez de ZECA BRASIL partir para gravação de seu primeiro DVD, o qual será ao vivo com o título "Jackson do Vale Gonzaga Brasil.
+ Informações ver anexo ou 9922 8188 / 9151 7783 NR Produções.

(ENVIADO POR NR Produções)

sexta-feira, 27 de abril de 2012

2ª FESTA BAILE DA SOLIDARIEDADE EM SÃO JOSÉ DE MIPIBU




BANZAI E LIANE VIANA

A festa começará ao som de Liane Viana e Banzai (Voz e Violão). A atração principal será a Orquestra Xeqmat. 



Maiores informações: (84) 9400-7672 ou (84) 9168-5595

segunda-feira, 23 de abril de 2012

I CONCERTO OFICIAL DA OSRN


BANDAS DE MÚSICAS DO SERIDÓ (PROTESTO)‏


Colegas,
Excelente o texto do maestro Bembem Dantas, Regente da Filarmônica de Cruzeta-Rn.
A maioria das Prefeituras preferem investir pesado para suas festividades, em contratações de Bandas de Forrós, Bandas de Axés, etc., a maioria de qualidade duvidosa, para não dizer em porcarias, ao invés de valorizarem as Bandas de Música. Nas famosas "Feirinhas de Comidas Típicas", durante as Festas de Padroeira das Cidades, sabem quem eles contratam para fazer zuada: Bandas de não sei o quê, que não têm quem agüente o barulho e a qualidade musical.
MUITO BEM, BEMBEM !!!   É isso aí.......

        Jornal Tribuna do Norte
        Coluna de Woden Madruga

        14 de Setembro de 2011

O protesto afinado do maestro


O maestro Humberto Carlos Dantas, o Bembem, regente da Filarmônica de Cruzeta, cujo trabalho há 25 anos é qualificado como um dos mais arrojados projetos culturais, não somente do Rio Grande do Norte, mas de todo o Nordeste, com repercussão em outras partes do país, não se contém diante da pouca importância que o poder público e certos veículos da imprensa, agora engordados com os itens da chamada rede social (blogues, saites e coisas afins), dão à verdadeira e legítima cultura seridoense, tão bem representada na sua música. Foi assim que, numa espécie de desabafo, escreveu uma mensagem de protesto. Que eu assino abaixo, com um “anexo" - que sirva para todo o Rio Grande do Norte, incluindo a capital:

Aos do Contato Seridó e interessados:

É incrível como vocês transparecem não conhecer nada do Seridó, quando esquecem que esta região tem suas Bandas de Música, com certeza, o principal cartão postal de nossa cultura. Talvez uma das regiões de maior musicalidade do país. Todas as cidades têm Banda de Música. Quase a metade são centenárias e algumas com mais de 150 anos! Como esquecer isso? Seria preconceito?!

Deveríamos colocar à frente de nossas bandas, algumas dançarinas seminuas para sermos incluídos como cultural oficial e assim ser um ponto de destaque em nossa região? A mesma região de Felinto Lúcio Dantas, Tonheca Dantas, Urbano Medeiros, Jaime Brito, Márcio Dantas, Ubaldo Medeiros, Manoel Felipe Neri, Chiquito, Maestro Pinta, Ernandi Lucena, Marciano Ribeiro e tantos outros, inclusive os de nossa contemporaneidade. Desconhecem que só aqui, na pequenina Cruzeta, existem quase uma centena de músicos formados, graduados ou graduandos? Surgem a cada dia novos compositores, arranjadores, instrumentistas e regentes de alto nível, alguns deles ocupando espaços importantes no cenário musical potiguar, no país e até no exterior

Desde 1856 que a Banda Euterpe Jardinense, de Jardim do Seridó, ininterruptamente está presente nos festejos e mobilizações culturais daquele município e da região, sendo também o mesmo seguido pelas outras. Muitas com CDs gravados e até documentários apresentados em nível nacional, como é o caso da Filarmônica Felinto Lúcio Dantas, de Acari.

Desculpe a necessária franqueza, mas esta gestão é prejudicial à nossa cultura. As Bandas de Música do Seridó nunca estiveram tão ativas e produzindo tanto! Trabalho diário, descobrindo talentos, formando músicos e cidadãos e levando ao povo arte, cultura e diversão, resistindo frente o apagão cultural que escurece a alma desta nação.

Acho que a proposta de turismo para a nossa região está equivocada. Pois não somos uma região sem música, quando é justamente o contrário. Quero dizer boa música. Será mesmo que turistas, de verdade, não o turismo sexual, predador e especulativo, não se sentiram bem ao serem recebidos com Bandas de Música?! Lembro, agora, quando o professor cruzetense, Francisco Pereira, em excursão pelos Estados Unidos, se deparou com uma banda a tocar numa praça obras do compositor Felinto Lúcio. Ele, ao delírio, me comunica o fato e deveras emocionado, comentou: ‘É indescritível minha alegria..." Mas ele é um homem de cultura!

Portanto, meus queridos, não parece ser seridoense de verdade quem está cuidando com tanto zelo dessa demanda, a qual em tudo falta-lhe a metade, já que lhe tiram sempre uma BANDA.

Por fim: a cidade de Carnaúba dos Dantas, popular e oficialmente batizada como a terra da música, no site Contato Seridó nada é colocado sobre isto, apenas uma pequena referência a Tonheca Dantas. Quando se sabe que o maestro Felinto Lúcio teve, inclusive, sua obra estudada e registrada por Radamés Gnatali, um dos maiores gênios da nossa música de todos os tempos.

Não posso conceber esse erro histórico como preconceito, seria realmente terrível e vergonhoso, sem contar que se cria um clima paradoxal. Quando mostra-se o que temos de melhor se esquece uma referência especial de nossa identidade cultural, sabe-se lá por que “cargas d'água"... Sei que podemos e devemos corrigir esse equívoco.

Bembem Dantas"

         Edmundo Eugênio Dantas Filho

        Presidente da AFABB (RN)


(ENVIADO POR DIDI AVELINO)




SAIBA MAIS:

 
Histórico da Filarmônica de Cruzeta

A Escola de Musica de Cruzeta foi criada em 1984 com o objetivo de formar uma Banda de Música. A Filarmônica 24 de Outubro, nome dado em homenagem a fundação da cidade, foi inaugurada em 1986, e logo no ano seguinte conquistou o II lugar no I Concurso de Bandas em Carnaúbas dos Dantas. 

Em 1988 assume a direção da Banda e da Escola de Música o Maestro  Humberto Carlos Dantas (Bembém), com sua visão inovadora voltada para a formação de crianças e jovens, utilizando a música como veiculo de inclusão e agente de transformação pessoal e social, dando-lhes oportunidades de exercer seu papel na sociedade com dignidade e cidadania. A sua filosofia de trabalho que é: “Aprender uma nota e através dela conhecer o mundo”, tem mudado a história de muitos jovens antes sem perspectivas de futuro. 

A Escola de Musica de Cruzeta hoje atende cerca de 200 crianças e jovens sendo que 40 destes já estão na Universidade cursando técnico, licenciatura e Bacharelado em Música, onde assumem a responsabilidade de repassar os conhecimentos adquiridos, servindo como agentes multiplicadores e ao mesmo tempo ganhando experiência para entrar no mercado de trabalho. 

A Filarmônica de Cruzeta, ou simplesmente a Banda de Cruzeta, nesse pequeno período de existência tem se destacado e se consolidado como a melhor banda do estado, e hoje é considerada entre as três melhores do Brasil, reconhecida por profissionais respeitados e conhecedores da realidade musical do país.

O projeto desenvolvido pela Escola de Música e Filarmônica de Cruzeta é modelo hoje para O Projeto “Bandas Filarmônicas” desenvolvido pelo Governo do Estado dentro do Programa Desenvolvimento Solidário, dado a sua indiscutível tônica de encorajamento nos aspectos educacionais, culturais e principalmente social, onde a música é vista não só como um meio de desentraves e alegria as pessoas, mas também como importante veículo de inclusão social e agente transformador, como sempre faz questão de afirmar o maestro Bembem: “Antes de formar grandes músicos, pensamos em formar grandes cruzetenses, seridoenses, norteriograndense, nordestinos, brasileiros, cidadãos do mundo e de si mesmos”.
TRANSCRITO:  http://filarmonicadecruzeta.wordpress.com/

VEJA ABAIXO A FILARMÔNICA DE CRUZETA EM AÇÃO EM DOIS MARAVILHOSOS MOMENTOS.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

CURTA O CURTA: PATATIVA


PATATIVA

Gênero: Animação, Documentário
Sub-Gênero: Infantil, Musical
Diretor: Ítalo Maia
Duração: 10 min     Ano: 2001     
País: Brasil     Local de Produção: CE
Cor: Colorido
Sinopse: Vida e obra de Patativa do Assaré - a trajetória desse homem, personagem, mito, poeta embevecido pela compreensão crítica do mundo.


Ficha Técnica 
Produção: Guirlanda de Castro
Fotografia: Fernando Micelo, Roberto Iuri
Roteiro: Guirlanda de Castro, Ítalo Maia, Quiá Rodrigues
Edição: Flavio Zihel
Som Direto: Lênio Oliveira
Direção de Arte: Quiá Rodrigues
Animação: André Dias, Ítalo Maia, Paulo Ítalo, Quiá Rodrigues, Ricardo Juliani
Trilha original: Adauto Oliveira

PORTA CURTAS - PETROBRAS
 

domingo, 15 de abril de 2012

SANCIONADA NA BAHIA, "LEI ANTIBAIXARIA".

Deputada Luiza Maia ao lado do governador da Bahia, Jaques Wagner, durante assinatura da sanção
Foto: Divulgação / Alberto Coutinho / Secom-BA

Duas semanas depois de a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) aprovar o projeto de lei (PL) que ficou conhecido como Antibaixaria, o governador do Estado, Jaques Wagner, sancionou a lei que proíbe a utilização de recursos públicos para contratação de artistas que executem músicas que desvalorizem, incentivem a violência ou exponham as mulheres e homossexuais ao constrangimento, ou ainda incentivem o uso de drogas ilícitas.

A lei tem 90 dias para entrar em vigor, contados a partir desta quinta-feira (12), quando houve a publicação no Diário Oficial do Estado. A autora do PL 19.237/11, deputada Luiza Maia (PT) esteve ao lado do governador durante a assinatura da sanção, nesta quarta-feira (11). 

O projeto de lei foi aprovado por 43 votos a nove, no dia 27 de março. Uma semana antes, o alcance do PL foi ampliado, por meio de um substitutivo apresentado pelo relator João Bonfim (PDT). A princípio, ele era voltado apenas para a proteção da dignidade da mulher e vedava completamente a utilização de recursos públicos para contratar artistas cujos conteúdos rebaixam a condição feminina.
Com as modificações - que tiveram o objetivo de sanar inconstitucionalidades apontadas no plenário, como uma suposta censura à manifestação artística - o gestor estadual passa a ter que excluir determinadas músicas no objeto do contrato.

MUNICIPALIZAÇÃO - A deputada Luiza Maia afirmou depois da aprovação da lei que enviará um "kit antibaixaria" para os 417 prefeitos e presidentes de Câmara do estado, contendo um “modelo municipal” do projeto de lei, cópias da lei aprovada nesta terça e exemplares da Lei Maria da Penha e dos Planos Estadual e Nacional de Políticas para as Mulheres. O objetivo é incentivar chefes do Executivo a adotarem a medida, a exemplo das prefeitas de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, e de Cardeal da Silva, Quitéria Mendes.

Nesta quinta, a secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Vera Lúcia Barbosa defendeu a implementação de propostas semelhantes nos municípios. Para ela, os grupos feministas e demais setores organizados devem se mobilizar para que os gestores municipais abracem a causa – a exemplo do que já aconteceu em Lauro de Freitas -, uma vez que a lei sancionada vale somente para os casos que envolvem contratação direta com recursos estaduais.

TRANSCRITO: http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/politica/noticia/2012/04/12/governador-da-bahia-sanciona-lei-antibaixaria-337209.ph

Grifo meu.

DIÁLOGOS CRIATIVOS: HOMENAGEM A JOÃO NOGUEIRA E PAULO CÉSAR PINHEIRO

Nesta segunda-feira, 16 de abril, o projeto cultural Diálogos Criativos realiza às 19:30 no Auditório da Livraria Siciliano do Midway Mall, em Natal, um encontro-show especial com o grupo de samba Preto Chique: uma homenagem filosófico-musical, com entrada franca, aos grandes sambistas João Nogueira e Paulo César Pinheiro.

(ENVIADO POR DIÁLOGOS CRIATIVOS)

quinta-feira, 12 de abril de 2012

ROMILDO E LUPE: CANÇÕES PARA ANTES DO FIM


Abolidos os sobrenomes, Romildo e Lupe se apresentam na próxima sexta feira, 13, no auditório do IFRN (centro).   Mostram suas Canções para Antes do Fim.
 No repertório estão parcerias entre os dois, como "Disléxico" e "O Exterminador de Sentidos".

ROMILDO E LUPE
Romildo (Soares), compositor potiguar dos mais atuantes da cena musical do estado, canta também canções de seu 1º CD, +Qimperfeito.
Lupe (Albano), recém chegado de São Paulo a convite de Romildo,  traz sua música urbana com influência nas toadas, cateretês e modas-de-viola, ritmos do universo caipira, do interior de seu estado.  Além de cancionista, compõe também para o teatro;  iniciou sua carreira, nos anos '80, como violonista e músico do PASSÁRGADA, grupo de teatro que nasceu em São Caetano do Sul - o "C" do ABC Paulista onde trabalhou com nomes como Wladmir Capella (diretor) e Kássia Kiss (atriz). 
OBS.:  Em seu repertório, está "FELIZ ANO NOVO", parceria telepática com o também potiguar ANTONIO RONALDO.
¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
Romildo e Lupe estarão bem acompanhados:
OSWIN LOHSS:  Teclados
SÉRGIO MENDONÇA: Baixo e violão.

SERVIÇO:
SEXTA FEIRA 13/04/2012
CANÇÕES PARA ANTES DO FIM
ROMILDO E LUPE
AUDITÓRIO DO IFRN - CENTRO - Av. Rio Branco, 743
20HRS
R$ 10,00
INFORMAÇÕES: 94011976

(ENVIADO POR NR PRODUÇÕES)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

SHOW DE CABRITO EM NATAL


CRU, EXPLÍCITO, SACANA, IMORAL
CABRITO é um personagem criado pelo premiado letricista de MPB, o mossoroense Tertuliano Aires que se utiliza do porno-erotismo para verbalizar sua poesia em forma de rock, forró, tango, frevo e xote, entre outros ritmos. UMA MÚSICA PARA DIVERTIR.
O nascimento do personagem se deu no final dos anos 80 em meio a paródias de músicas bregas.
O Maestro Franklin Nogvaes, além de arranjador, foi um dos grandes incentivadores para a gravação das pornofonias de CABRITO.
Em 1996,as composições de CABRITO são gravadas e comercializadas em fitas K7 com o título " A cagada da minha prima".
Em 2009, Nelson Rebouças assume a produção de CABRITO e por uma adequação de marketing, regrava o disco intitulando-o "Os nominhos que ela tem".
Em 2010, 1º de maio, o disco é lançado oficialmente no Veros Bar, com o show "Hoje o trabalhador goza". Desse show surgiram as primeiras imagens que vieram a se juntar com as de outro "Se enforque se quiser, mas eu vou pro cabaré", realizado em 21 de abril no Senzala Casa Show.
Quase dois anos após, CABRITO volta ao Veros Bar com a banda CAPRINOS: Franklin Nogvaes-teclado, Ricardo Baya-guitarra, Sérgio Mendonça-baixo e Jonh Fidja-bateria, para lançar o DVD "Os nominhos que ela tem". Depois seguirão em shows por Mossoró, Fortaleza, João Pessoa e outras a serem confirmadas.
+ Informações: 9922 8188 / 9151 7783 NR Produções.
(ENVIADO POR NR PRODUÇÕES)

segunda-feira, 9 de abril de 2012

CARLOS ZENS NO MÚSICA POPULAR POTIGUAR





Nesta quarta-feira, 11 de abril, acontece às 19:30 no Auditório da Livraria Siciliano (Midway Mall), em Natal, o segundo encontro do ciclo temático MPP ? Música Popular Potiguar do projeto cultural Diálogos Criativos. O convidado deste mês é o cantor e compositor Carlos Zens, um dos nomes de maior destaque da música norte-riograndense, que compartilhará com o público sua trajetória artística e seu legado na música potiguar intercalando a conversa com interpretações ao vivo de clássicos de sua autoria.

(ENVIADO POR DIÁLOGOS CRIATIVOS)