Pages

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

GUSTAVO CONCENTINO E BLUES MOUNTAIN NO BLUES NO BECO



SERVIÇO:
EVENTO: BLUES NO BECO
SHOW: GUSTAVO CONCENTINO E BLUES MOUTAIN
DATA: 01 DE NOVEMBRO (TERÇA-FEIRA)
LOCAL: BAR DA MELADINHA (BECO DA LAMA- CIDADE ALTA - NATAL-RN)
HORÁRIO: 20h
ENTRADA FRANCA

REALIZAÇÃO: Marcelo Veni

31/10 - Dia D... Drummond

Hoje, 31 de outubro, o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade estaria completando 109 anos se estivesse vivo. 

Homenagem do blog a um dos maiores poetas do Universo.


FELIZ ANIVERSÁRIO, POETA.


Os Ombros Suportam o Mundo

Carlos Drummond de Andrade

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.


Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.


Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teu ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

Os versos acima foram publicados originalmente no livro "
Sentimento do Mundo", Irmãos Pongetti - Rio de Janeiro, 1940.  Foram extraídos do livro "Nova Reunião", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1985, pág. 78.
 
BIOGRAFIA:

Carlos Drummond de Andrade

Poeta, cronista, contista e tradutor brasileiro. Sua obra traduz a visão de um individualista comprometido com a realidade social.

Na poética de Carlos Drummond de Andrade, a expressão pessoal evolui numa linha em que a originalidade e a unidade do projeto se confirmam a cada passo. Ao mesmo tempo, também se assiste à construção de uma obra fiel à tradição literária que reúne a paisagem brasileira à poesia culta ibérica e européia.

Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade natal, em Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro.

Ante a insistência familiar para que obtivesse um diploma, formou-se em farmácia na cidade de Ouro Preto em 1925. Fundou com outros escritores A Revista, que, apesar da vida breve, foi importante veículo de afirmação do modernismo em Minas. Ingressou no serviço público e, em 1934, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi chefe de gabinete de Gustavo Capanema, ministro da Educação, até 1945. Excelente funcionário, passou depois a trabalhar no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e se aposentou em 1962. Desde 1954 colaborou como cronista no Correio da Manhã e, a partir do início de 1969, no Jornal do Brasil.

Predomínio da individualidade. O modernismo não chega a ser dominante nem mesmo nos primeiros livros de Drummond, Alguma poesia (1930) e Brejo das almas (1934), em que o poema-piada e a descontração sintática pareceriam revelar o contrário. A dominante é a individualidade do autor, poeta da ordem e da consolidação, ainda que sempre, e fecundamente, contraditórias. Torturado pelo passado, assombrado com o futuro, ele se detém num presente dilacerado por este e por aquele, testemunha lúcida de si mesmo e do transcurso dos homens, de um ponto de vista melancólico e cético. Mas, enquanto ironiza os costumes e a sociedade, asperamente satírico em seu amargor e desencanto, entrega-se com empenho e requinte construtivo à comunicação estética desse modo de ser e estar.

Vem daí o rigor, que beira a obsessão. O poeta trabalha sobretudo com o tempo, em sua cintilação cotidiana e subjetiva, no que destila do corrosivo, no que desmonta, dispersa, desarruma, do berço ao túmulo -- do indivíduo ou de uma cultura.

Em Sentimento do mundo (1940), em José (1942) e sobretudo em A rosa do povo (1945), Drummond lançou-se ao encontro da história contemporânea e da experiência coletiva, participando, solidarizando-se social e politicamente, descobrindo na luta a explicitação de sua mais íntima apreensão para com a vida como um todo. A surpreendente sucessão de obras-primas, nesses livros, indica a plena maturidade do poeta, mantida sempre.

Alvo de admiração irrestrita, tanto pela obra quanto pelo seu comportamento como escritor, Carlos Drummond de Andrade morreu no Rio de Janeiro RJ, no dia 17 de agosto de 1987, poucos dias após a morte de sua filha única, a cronista Maria Julieta Drummond de Andrade.

TRANSCRITO: http://pensador.uol.com.br/autor/carlos_drummond_de_andrade/biografia



domingo, 30 de outubro de 2011

FLIPIPA - PROGRAMAÇÃO OFICIAL


Foi divulgada a programação do III Festival de Literatura de Pipa. O Festival, está na terceira edição e já faz parte do roteiro de eventos da mesma linha, como Flip (Parati - RJ) e Fliporto (Olinda - PE). O evento acontece nos dias 17, 18 e 19 de novembro no distrito do município de Tibau do Sul/RN.

O Festival é uma excelente oportunidade para ver, ouvir e conversar, com grandes escritores nacionais e internacionais, e este ano traz: Fernando Morais, Arnaldo Antunes, o português Miguel Souza Tavares e muitos outros.

A prata da casa estará representada, entre outros, por Diógenes da Cunha Lima, Carlito Azevedo e Cassiano Arruda. 

Veja abaixo a programação oficial do Festival, que é IMPERDÍVEL.

P R O G R A M A Ç Ã O  O F I C I A L


17/NOVEMBRO (5ª feira)

17h — Coquetel de lançamento da BiblioSesc no RN
Lançamento da III edição do Flipipa
LOCAL: Área externa da Tenda dos Autores

18h — Tenda Literária 
Mesa 1: A LITERATURA EM OSWALDO LAMARTINE, com : Paulo Bezerra, e
Edgard Ramalho Dantas MEDIADOR: Paulo de Tarso Correia de Melo.

19h — Tenda Literária
Mesa 2: ROMANCE E HISTORICISMO EM EQUADOR, com: Miguel Sousa Tavares (Portugal). MEDIADOR: Woden Madruga

20h30 — Tenda Literária
Mesa 3: POESIA LINGUÍSTICA-VISUAL EM ARNALDO ANTUNES com: Arnaldo Antunes. Mediador: Jarbas Martins 

18/NOV (6ª  feira)

18h00 – Tenda Literária 
Mesa 4: CONVERSA EPISTOLAR ENTRE MÁRIO DE ANDRADE E CÂMARA CASCUDO, com: Marcos Silva, Diógenes da Cunha Lima. Mediadora: Edna Rangel. 

19h30 — Tenda Literária 
Mesa 5: POESIA: MODO DE SENTIR, com Carlito Azevedo. Mediadora: Ana de Santanna. 

21h — Tenda Literária  
Mesa 6: BIOGRAFIA E REPORTAGEM: OS ÚLTIMOS SOLDADOS DA GUERRA FRIA  com: Fernando Morais DEBATEDORES: Cassiano Arruda e Sávio Hackradt.

19/NOVEMBRO, SÁBADO

16h — CAMINHADA LITERÁRIA - Baía dos Golfinhos até SPA da Alma (3km) Caminhada organizada por Fernanda Bauernan e Ana Brito com participação da comunidade, escritores, aberta a interessados. Leituras e oralizações durante o percurso. Poeta convidada: Michelle Ferret

17h00 — Tenda de Autógrafos da Cooperativa Cultural/UFRN Lançamento do romancista Arthur Martins (Habeas Asas) e da contista Luisa Geisler (Contos de Mentira), vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2010 
17h30 — Sarau musical com Camila Masiso e Diogo Guanabara.
LOCAL: Área externa

18h — Tenda Literária 
Mesa 7: CORDEL ENCANTADO: TELENOVELA E LITERATURA, com: Thelma Guedes. Participação: Márcia C. Veltrini. Mediação: Heverton Freitas 

19h30 — Tenda Literária 
Mesa 8: O MODERNISMO, MANUEL BANDEIRA E OUTROS. Conferência de: Davi Arrigucci Jr. Apresentação: Dácio Galvão.

20h00 — Tenda Literária  
Mesa 9 : POESIA EM ROTAÇÃO: O TEXTO DE EUCANAÃ FERRAZ, com: Eucanaã Ferraz. MEDIADOR: João Batista de Morais Neto  

21h30 — Tenda Literária    
Mesa 10 : ROMANCE E NARRATIVAS, com: Rubens Figueiredo e Ney Leandro de Castro. MEDIADOR: Carlos Fialho.


ÁREA EXTERNA

LANÇAMENTOS LITERÁRIOS — TENDA DE AUTÓGRAFOS
LOCAL: Espaço da Cooperativa Cultural/UFRN e Editora Sebo Vemelho

DIA 17/NOV — Tenda de autógrafos
21h — Miguel Sousa Tavares

21h30 —  Arnaldo Antunes

Dia 18/ NOV — Tenda de Autógrafos

17h — Lançamentos da Cooperativa Cultural
*Ferreira Itajubá – Gracioso Ramalhete
Org Cláudio Galvão
*Poesia de Luís Carlos Guimarães
*A Biblioteca e Seis Habitantes (Américo de Oliveira Costa)


18h — Lançamento Sebo Vermelho
Poemas de Antônio Marinho (5ª edição)
Obra reunida do poeta da região, conhecido por Antônio Pequeno, 90 anos,
Com presença do autor

19h30 — Carlito Azevedo

20h00 — Diógenes da Cunha Lima
Natal Uma Nova Biografia


21h30 — Fernando Morais

DIA 19/NOV — Tenda de Autógrafos

18 h — Lançamento Sebo Vermelho
Breve Notícia Sobre a Província do Rio Grande (1ª História do Rio Grande do Norte). De Manoel Ferreira Nobre

19h — Lançamentos dos vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2010
Lançamento do romancista Arthur Martins ( Habeas Asas) e da contista Luisa Geisler (Contos de Mentira), vencedores do Prêmio Sesc de Literatura 2010

21h — Davi Arrigucci

22h — Eucanaã Ferraz

23h — Rubens Figueiredo


17 a 19 de NOVEMBRO

 9:00h às 22hs —  CASA DAS PALAVRAS
LOCAL: AO LADO DA TENDA DOS AUTORES
Espaço destinado às apresentações literárias, exibição de ensaios fotográficos,  arte urbana, instalação, intervenção, leituras, vídeos que dialogam com a literatura. Aberto a interessados mediante inscrição.
Intervenções dos artistasCandinha Bezerra, Carlos Gurgel, Michelle Ferret, Henrique Araújo,  Civone Medeiros
Exposições de Ricardo Junqueira, Hugo Macedo, Tito Rosemberg, Carito, Simone Sodré, Raimundo Neto, Cristina Monte, Ramon Vasconcelos, Josuá Carlos, Valiete Ribeiro, Silva Batistuzzo e Ângela Almeida.


09h às 22hs — BIBLIOSESC
LOCAL: AO LADO DA TENDA DOS AUTORES
Biblioteca Intinerante do SESC. Trata-se de uma biblioteca móvel, montada sobre um caminhão, abastecida com 3 mil livros. Os livros estarão disponíveis para leitura no local.

 9:00h às 22hs — ESPAÇO LIVRE: CAJUEIRO DA LEITURA
LOCAL: ÁREA EXTERNA DO FLIPIPA
Espaço Sesc de Leitura Livre. Exposição aberta de livros de diversos gêneros literários ao público participante, pendurados no cajueiro. Haverá esteiras, pufes e almofadas para a acomodação dos leitores.


9:00h às 11h, 14 às 16h - OFICINA LITERÁRIA
LOCAL: Escola Municipal Vicência Castelo.
Oficina literária: “Narrativas Poéticas: O Experimento da Poesia”. Autora: Michelle Ferret

094h às 22h – VARAL DAS NARRATIVAS
LOCAL: Ao lado da Casa das Palavras
Espaço onde estarão todas as produções  poéticas e literárias das oficinas, incluindo a de Michelle Ferret, serão exibidas a cada dia, numa espécie de varal. Poderá ser lido pelo público.


9:00h às 12h - OFICINAS CATA-LENDAS
LOCAL: Sede da ONG EDUCAPIPA
Projeto realizado por Graça Leal, UFRN/Flipipa procura unir inclusão social, literatura e memória através da captura de histórias, estórias, causos nas comunidades de Pipa e Tibau do Sul, a partir das memórias dos idosos dessas comunidades. Edição de livros no local. Participação: Professores da rede pública de Pipa e Tibau do Sul.


ESPAÇO SESC DE CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS
Local: Ao lado da BiblioSesc
Dia 18/NOVEMBRO  —  10h30 e 16h30
Realização de oficinas de contação de histórias, as quais retratam valores culturais e históricos locais. Leituras para crianças e jovens.

10h, 14h e 19h
DIAS 17, 18 E 19 — CINEMA E LITERATURA
LOCAL: ONG Educapipa (Em frente ao Festival Literário).

Mostra de filmes que promove o diálogo da Literatura com a sétima arte, em documentários e ficções, curtas e longas-metragens. Filmes fazem parte do acervo da Programadora/SESC.


FEIRA DE ARTESANATO – SEMTAS
LOCAL: AV Baía dos Golfinhos



PROGRAMAÇÃO PARALELA


Dia 17/NOV
Exposicão dos artistas plásticos chilenos Dante e Pablo, com o tema Mata,  mar e rio, óleo sobre tela, 19h.
Local: Pizzaria Calígula, av Baía dos Golfinhos, 757, Centro



DIA 18/NOV
19h
Lançamento de Oceano Primeiro, da escritora amazonense Regina Melo.
Oceano primeiro – Mar de leite, rio da criação” (Editora Nelpa). Segundo de uma trilogia iniciada há sete anos com “Ycamiabas – Filhas da Lua, mulheres da Terra” (Valer), o livro narra a história de um filósofo chamado Oannes que, após deixar a metrópole para viver em meio à natureza na Amazônia, mergulha na História geológica da Terra por meio de experiências místicas.

Show do trio Toca Jazz, 22h
LOCAL: Pizzaria Calígula, av Baía dos Golfinhos, 757, Centro



sábado, 29 de outubro de 2011

I MOSTRA DE DESENHOS ARTÍSTICOS E MANGÁ EM SÃO JOSÉ DE MIPIBU


Começou ontem (28/10) a I Mostra de Desenhos Artísticos e Mangá de São José de Mipibu/RN. A exposição estará aberta até às 10h deste domingo (30/10), na Câmara de São José de Mipibu, no centro da cidade.
 A mostra traz obras de artistas de São José de Mipibu e da cidade do Natal. Os artistas mipibuenses são: Averdson Marinho, Douglas Bruno, Francisco Assis, Lucas Marques e Rogério Silva.
Os trabalhos expostos usam a técnica do grafite.
A Mostra faz parte do Projeto Câmara Cultural e contou com a participação e coordenação do professor Ricardo Tinôco.

FOTOS DA EXPOSIÇÃO:


LUCAS MARQUES 

 AVERDSON MARINHO

O PÚBLICO PRESTIGIANDO O EVENTO

LUCAS MOSTRA SEU PORTFÓLIO A ALISSON (PAI DO ARTISTA AVERDSON) E EURÍDICE

  ALGUMAS OBRAS

QUADROS DOS ARTISTA DE MIPIBU:








 OBRA DE AVERDSON MARINHO

 

 


OBRA DE DOUGLAS BRUNO



 


OBRA DE FRANCISCO DE ASSIS











OBRA DE LUCAS MARQUES
 




OBRA DE ROGÉRIO SILVA






OBRA DO PROFESSOR RICARDO TINÔCO


Para saber mais...

História do Grafite
A palavra grafite é de origem italiana e significa "escritas feitas com carvão".
Os antigos romanos tinham o costume de escrever manifestações de protesto com carvão nas paredes de suas construções. Tratavam-se de palavras proféticas, ordens comuns e outras formas de divulgação de leis e acontecimentos públicos. Alguns destes grafites ainda podem ser vistos nas catacumbas de Roma e em outros sítios arqueológicos espalhados pela Itália.
No século XX, mais precisamente no final da década de 60, jovens do Bronx, bairro de Nova Iorque (EUA), restabeleceram esta forma de arte usando tintas spray. Para muitos, o grafite surgiu de forma paralela ao hip hop - cultura de periferia, originária dos guetos americanos, que une o RAP (música muito mais falada do que cantada), o "break" (dança robotizada) e o grafite (arte plástica do movimento cultural). Nesse período, academias e escolas de arte começaram a entrar em crise e jovens artistas passaram a se interessar por novas linguagens. Com isso, teve início um movimento que dava crédito às manifestações artísticas fora dos espaços fechados e acadêmicos. A rua passou a ser o cenário perfeito para as pessoas manifestarem sua arte.
Os artistas do grafite, também chamados de "writers" (escritores), costumavam escrever seus próprios nomes em seus trabalhos ou chamar a atenção para problemas do governo ou questões sociais.
Na Europa, no início dos anos 80, jovens de Amsterdã, Berlim, Paris e Londres passaram a criar seus próprios ateliês em edifícios e fábricas abandonadas. O objetivo era conseguirem um espaço para criarem livremente. Nesses locais, surgiram novas bandas de música, grupos de artistas plásticos, mímicos, atores, artesãos e grafiteiros.
Muitos grafiteiros europeus e norte-americanos que viveram e trabalharam nesses espaços alternativos conseguiram levar mostrar suas obras aláem das fronteiras de seus países. Alguns exemplos desse movimento são: Jean-Michel Basquiat, Keith Haring e Kenny Scharf .
Haring e Scharf expuseram seus trabalhos na XVII Bienal Internacional de São Paulo, em 1983, exercendo forte influencia entre os artistas do grafite no Brasil. A XVIII Bienal, em 1985, lançou nomes de grafiteiros brasileiros, tais como Alex Vallauri, Matuck e Zaidler.

TRANSCRITO: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/desenhista/grafite.html

(FOTOS VALDECI DE OLIVEIRA)

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

PREMIAÇÃO DOS VENCEDORES DO III MPBeco


Hoje (28/10), a partir das 19h acontece a entrega dos prêmios aos vencedores do III MPBeco – Festival de Música do Beco da Lama. O evento rola no Bar e Restaurante do Seu Zé, que fica na rua Professor Zuza, ao lado do prédio do IFRN, na Cidade Alta.
Além da entrega dos prêmios aos vencedores do Festival, haverá exposição fotográfica e a premiação dos três ganhadores do concurso fotográfico, “III MPBeco em Foco”, com fotos tiradas durante os três dias do Festival.
Para encerrar a festa, após a premiação haverá show com o grupo Nós do Beco, com a participação de Joca Costa e Heliana. Entrada franca.

Abaixo as fotos vencedoras do concurso fotográfico “III MPBeco em Foco”:

 1ª COLOCADA - FOTO DE DIEGO MARCEL

2ª COLOCADA - FOTO DE THAMISE CERQUEIRA 

 3ª COLOCADA - FOTO DE TÁRCIO FONTENELE

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

JUBILEU FILHO - SHOW COMEMORATIVO 25 ANOS DE CARREIRA


ONDE: Teatro Alberto Maranhão - Ribeira - Natal/RN
QUANDO: 27 de outubro (quinta-feira)
HORÁRIO: 21h

Para saber mais...

JUBILEU FILHO É GUITARRISTA ARRANJADOR, TROMPETISTA , COMPOSITOR E CANTOR, INICIOU SUA CARREIRA MUSICAL NO ANO DE 1984 NA CIDADE DE CURRAIS NOVOS INTERIOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE ONDE NASCEU NO ANO DE 1973, NESSES 22 ANOS DE CARREIRA TOCOU NAS PRINCIPAIS BANDAS DE BAILE DO RIO GRANDE DO NORTE, E ACOMPANHOU VÁRIOS ARTISTAS LOCAIS E NACIONAIS, NELSON GONÇALVES, TRIO IRAKITAN, JOANA, ROSIMERE, ELINO JULIÃO, ELIANE, BETO BARBOSA SÃO ALGUNS DELES, PARTICIPOU DE GRAVAÇÕES COM , LENINE, ELBA RAMALHO, FAGNER, XANGÁI, MARINÊS, ALCEU VALENÇA, VALÉRIA OLIVEIRA, BABAL, PEDRO MENDES, GALVÃO FILHO, THEMIS E MUITOS OUTROS, NA ÁREA INSTRUMENTAL TOCOU E GRAVOU COM ARTHUR MAIA, EDUARDO TAUFIC, MARCIO RESENDE, DI ISTÉFANO, SÉRGIO GROOVE, FÁBIO COSTA, EBINHO CARDOSO, FRED ANDRADE, LUCIANO MAGNO, MARCELO MARTINS, ZÉ CANUTO, CHICO BETHOVEN, CÁSSIO DUARTE, ARMANDINHO E VÁRIOS OUTROS ARTISTAS, JUBILEU FILHO É LÍDER DA BANDA PERFUME DE GARDÊNIA, É PROFESSOR DE GUITARRA DO CMAI, É ENDORSE DOS AMPLIFICADORES METEORO, CABOS SPAR FLÉX, E GUITARRAS DEOLIVEIRA

FONTE: http://www.myspace.com/jubileufilho

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

CARLOS ZENS – DO MAR AO SERTÃO - PROJETO CENA ABERTA

                                                            
CARLOS ZENS - DO MAR AO SERTÃO


                                            FOTO: VALDECI DE OLIVEIRA


Um instrumentista, compositor e professor de música que segue nas veredas da música potiguar brasileira.

Um show alegre, leve e rítmico que segue as veredas das músicas dedicadas à contemplação do mar e a veneração do sertão. Uma diversidade rítmica que inclui o maracatu, samba de roda, ciranda, maxixe, coco e baião. Porque é um show que traz fragmentos poéticos intercalando com as obras sonoras que vão sendo executadas, ora com o tema “Mar”, ora com o tema “Sertão”, deixando a sutileza do convite constante ao espectador a possibilidade de uma viagem singular.
ENVIADO: CASA DA RIBEIRA
SERVIÇO:
SHOW: CARLOS ZENS - DO MAR AO SERTÃO
ONDE:CASA DA RIBEIRA
Rua Frei Miguelinho, 52 - Ribeira - Natal/RN

QUANDO: Dias 26 e 27 – 19:30 horas
QUANTO: R$ 5,00 promocional 

CAFÉ COM ARTE: LANÇAMENTO DO DVD "NÍSIA FLORESTA VIDA E OBRA"


Lançamento do DVD "Nísia Floresta Vida e Obra", de Marieta Izabel Martins Maia. 

QUANDO: 27/10/2011 - quinta-feira
ONDE: Teatro Alberto Maranhão - Ribeira - Natal/RN
INÍCIO: 18h.
Informações: 3222 3669.


SAIBA MAIS: 



Nísia Floresta Brasileira Augusta

Biografia
 
 
            
 Nasceu em 12 de outubro de 1809 no sítio Floresta do município de Paparí - RN, cidade hoje denominada de NÍSIA FLORESTA em sua homenagem. Seu nome de batismo é Dionysia, sendo seus pais Dionysio Gonçalves Pinto Lisboa e Antônia Clara Freire, sendo esta brasileira e aquele português. 

           Aos 19 anos deixava o Rio Grande do Norte, instalando-se em Pernambuco, transportando-se posteriormente para o Rio Grande do Sul, onde promoveu e organizou um colégio, que ali mereceu o melhor acolhimento. Continuou sua delicada missão educadora no Rio de Janeiro, que a atraíra, talvez para relevo maior do seu espírito forte e fulgurante. Lá realizou conferências sobre o Abolicionismo e a República, sem perder ocasião de revelar-se pela emancipação dos escravos, liberdade dos cultos e federação das províncias, magnos problemas sociais e políticos. Colaborou no Jornal do Comércio, Correio Mercantil, Diário do Rio de Janeiro, Brasil Ilustrado, etc... 
            Distanciou-se de sua pátria em 1848, passando a residir em Paris, comunicando-se com Victor Hugo, Saint-Hilaire, Lamartine, George-Sand, Laboulaye e correspondendo-se com Augusto Comte, Manzzini, Garibaldi e outros notáveis espíritos da época. Percorreu grande parte da Europa, demorando-se de preferência na Itália, tendo viajado também para o Oriente. Freqüentou cursos de Ciências na Itália, Inglaterra e França. 
            Em 1831 inicia sua estréia nas letras. No Espelho das Brasileiras, jornal dedicado as mulheres pernambucanas, começa a surgir a escritora. De sua autoria temos vários livros todos esgotados: 1832 - Direito das Mulheres e injustiça dos homens (tradução de um folheto original de Miss Godwin, tirando novas edições em 1833 e 1839; 1842 - Conselhos à minha filha, de que o Bispo de Mondovi fez versão para o italiano e o francês; 1845 acrescentado em nova edição "com 40 Pensamentos em versos; 1847 Fany ou o Modelo das Donzelas e Darciz ou a Jovem Completa. Historieta oferecida a suas Educandas; 1849 - A Lágrima de um Caeté 1ª e 2ª edição; 1850 - Revolta praieira, D'assis e Dedicação de uma amiga; 1853 - Opúsculo Humanitário; 1854 - Páginas de uma Vida Obscura; Um Passeio ao Aqueduto da Carioca, O pranto filial; 1856 - Versos; 1857 - Itineraire d'un voyage em Allemagne; 1858 - Consigli a mia Figia; 1859 - Scintelle d'una Anima Brasiliana; Conseils a ma Fille 1861 - Trois ans en Italie; 1864 - Abysmo sob flores; 1871 - Um passeio ao Luxemburg e Le Brésil e outros. Quando no estrangeiro escreveu em muitas revistas, tendo o Novo Mundo, de New York, de 23 de maio de 1872, publicado a sua biografia, estampando-lhe o retrato. Em manuscrito, deixou dois volumes de poesias: Inspirações Maternas e Memórias de Minha Vida. Passou para outro lado da vida, em Rouen a 24 de abril de 1885. O cemitério de Bonsecours, serviu de abrigo para seu corpo, que transladou-se para o Rio Grande do Norte, hoje repousando em mausoléu próprio na Cidade de Nísia Floresta.
            "Mais notável mulher de lettras que o Brasil tem produzido, quer pela amplitude da visão, quer pela suavidade do estylo", conforme o alto conceito dessa inconfundível notabilidade intelectual, que é Oliveira Lima.

TRANSCRITO: http://www.revista.agulha.nom.br/nfloresta01b.html

EXPEDIÇÃO FOTOGRÁFICA - ESQUINA DO BRASIL


DIA 30 DE OUTUBRO - BATE VOLTA - MICRO-ÔNIBUS COM AR - R$ 50,00

INFORMAÇÕES: 8896-5436 - alexgurgel@supercabo.com.br

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

SOM DA MATA ESPECIAL - GRUPO COMPOR


FOTOS DA APRESENTAÇÃO DO GRUPO "COMPOR"
NA XVII CIENTEC

















(FOTOS VALDECI DE OLIVEIRA)